A crise bateu


O beijo não tinha mais o mesmo gosto. Nossos corpos não mais se atraiam. Tudo havia mudado. Não sabia mais o que fazer, o que optar, se deixava de se preocupar, mas a crise bateu, trazendo a neblina e os dias passando devagar sem cor, amor ou motivos para existirem. A crise bateu e eu apanhei, sangrei até o último dia que tive forças para fazer com que aquilo que construí praticamente sozinha, – ou durante um tempo com o modelo de parceiro que por curto prazo se fez real – desse certo ou ao menos me desse a ilusão de que teria futuro. tumblr_l7skm85Qdg1qduksfo1_500Fazia-me diversas perguntas sobre como chegamos até onde estávamos, mas nada me surgia, somente minha mania de sempre procurar culpa em mim mesma, para tentar justificar a ausência daquilo que nós acreditávamos ser possível – ou só eu cheguei um dia acreditar, quem sabe? – Atormentava-me a ideia do fim, porém minha consciência não me deixava em paz, mesmo com a ilusão de que nós dois juntos poderíamos compor o ‘nós’. Podia eu, até mesmo durante inúmeras vezes tentar entender e procurar razão para todo aquele abismo entre nós, aquele gelo que havia tomado conta de nossa realidade, porém sempre era a mesma história, ficava na cama imaginando cenas que somente em minha mente poderiam ser realizadas, diálogos que jamais seriam concretizados e possíveis soluções que não cabiam só a mim conceber. Após horas de reflexão, chegava sempre à mesma conclusão, sabia que tudo o que nos faltava, era união de interesses, nos quais nossos caminhos não estavam sendo os mesmos. voce-nao-foi-convidada.htmlDaí então, caía novamente em uma realidade devastadora que de tão dolorosa, o sono me vinha como “defesa” e como rotina de minha mente, já era manhã e lá estava eu concluindo meu drama. Após muitos desencontros e conflitos mentais, assumi minha identidade e aceitei a realidade. Tinha que aceitar! Não sabia mais o que era felicidade, só via meus dias sendo alimentados por farelos de esperança daquela relação em que me doei. Aceitei que seu nome já fazia parte de uma fase bonita de minha vida, me coloquei em primeiro plano e te disse adeus. Pudera eu afirmar que foi o adeus mais doloroso que havia sido pronunciado por mim, porém não foram necessárias palavras, apenas um olhar e balançar de mãos, o fez entender, aquele dia não era o fim, pois o fim tinha se dado a tempos.

Karina Boldoro

2 comentários sobre “A crise bateu

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s